Nossa Proposta

Neste ano em que a Igreja no Brasil recorda o protagonismo dos cristãos leigos, nós músicos católicos (cantores, instrumentistas, estudantes, regentes) observamos a paupérrima situação da música litúrgica em nossa pátria e, inspirados no exemplo dos cecilianistas do nupérrimo pretérito, decidimos unir forças por meio duma Associação em torno do Magistério da Igreja para pô-lo em prática no Brasil, promovendo a música sacra, o retorno do canto gregoriano, da polifonia, do coral, do órgão, do uso doutros instrumentos de forma conveniente e adequada à liturgia (a qual é o mesmo sacrifício de Nosso Senhor na cruz, porém incruentamente), da prevalência do texto sagrado no canto e o incentivo da participação dos fiéis presentes, para a maior glória de Nosso Senhor Jesus Cristo e a edificação das almas.

Não pretendemos rejeitar todo o trabalho musical das últimas décadas de nosso país, mas sim incorporar tudo quanto for digno da Sagrada Liturgia ao repertório já consagrado pela Igreja, assim como incentivar novas composições que sigam as orientações do magistério, isto é, inspirando-se no gregoriano e valorizando sobretudo o texto sacro.

Queremos deixar de lado, consequentemente, as formas musicais que sejam mui próximas aos estilos de música popular e/ou doutras religiões, pois afastam-se daquilo que almeja a Santa Madre Igreja, e, igualmente, instrumentos que culturalmente pertençam à música mundana. Outrossim, abandonar as práticas musicais nas quais prevalece o talento do instrumentista e do cantor, para, destarte, valorizar a sagrada liturgia, de modo que Nosso Senhor Jesus Cristo seja o centro de nossas ações e tudo remeta a Ele.

Estamos cientes da crescente procura de fiéis pelo rito latino na forma extraordinária, conforme o Motu Proprio Summorum Pontificum do papa Bento XVI. No entanto, nosso mister é trabalhar em virtude do rito ordinário da Igreja Latina segundo o missal do beato papa Paulo VI, não obstante mantendo o merecido respeito e zelo pelo rito tradicional, tendo-o qual sumo modelo de liturgia e espiritualidade. Ademais, conquanto não seja o foco principal de nossa Associação, por-nos-emos à disposição para obsequiar quanto à música todos aqueles que o desejarem no que tange à Santa Missa Tridentina.

Não objetivamos apoiar nenhum grupo ou movimento dentro da Igreja, principalmente os cismáticos. Nossa labuta deverá abranger todo tipo de comunidade, ínfimas ou máximas, desfavorecidas ou opulentas, com o exclusivo objetivo de promover a música sacra para a maior glória de Deus. Estamos submissos às autoridades eclesiais e dispostos a servir a Igreja em tudo quanto estiver ao nosso alcance.

 

A Associação que almejamos estará apoiada no Código de Direito Canônico:

 

Cân. 298 — § 1. Na Igreja existem associações, distintas dos institutos de vida consagrada e das sociedades de vida apostólica, nas quais os fiéis, quer clérigos quer leigos quer em conjunto clérigos e leigos, em comum se esforçam por fomentar uma vida mais perfeita, por promover o culto público ou a doutrina cristã, ou outras obras de apostolado, a saber, o trabalho de evangelização, o exercício de obras de piedade ou de caridade, e por informar a ordem temporal com o espírito cristão.

Trabalharemos na elaboração de materiais de suporte para os instrumentistas e cantores, tais como:

 

  • Hinários - cantos cuidadosamente selecionados, aprovados pelas autoridades eclesiásticas responsáveis e compilados de forma prática;

 

  • Participação do povo - Colaborar para que os fiéis possam também aprender o canto sacro tradicional;

 

  • Formação litúrgica - Promoção de cursos, aulas e palestras, tanto na ação presencial como virtual, para que os músicos tenham uma compreensão adequada de como deve ser a Sagrada Liturgia e ajudar com músicas adequadas a ela;

 

  • Materiais clássicos - Promover a reedição de livros de música sacra antigos, como os hinários Harpa de Sião, Cecília, Magnificat et cætera;

 

  • Materiais próprios - Publicar novos livros para formação litúrgica e musical;

 

  • Instrumentos - Estimular o interesse pelo órgão de tubos ou digital, auxiliando as comunidades que desejarem adquirir tais instrumentos e a sua ulterior manutenção (afinação, reforma et cætera); Conscientizar sobre o uso adequado dos demais instrumentos;

 

  • Musicalização - Promoção de aulas de teoria musical, canto coral e órgão para os fiéis que desejarem aprofundar-se, conforme a realidade local;

 

Todas as obras da Associação deverão ser mantidas com recursos dos próprios associados e de benfeitores do país inteiro, sem intenção de envolver recursos das paróquias e dioceses.

© 2018 - Movimento Cecilianista do Brasil.

  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black YouTube Icon
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now